Em 2016%, o Mobile Banking foi a modalidade preferida para realizar operações financeiras, com R$ 21,9 bilhões de transações. Serviços vão desde consulta a extrato até grandes transferências

As comodidades proporcionadas pelos aplicativos móveis caíram de vez no gosto do brasileiro quando o assunto é utilizar serviços bancários.

De acordo com a última pesquisa da Federação Brasileiras de Bancos (Febraban) sobre tecnologia bancária, em 2016, o Mobile Banking foi a modalidade preferida para realizar operações financeiras, com 21,9 bilhões de transações, o que representa um crescimento de quase 100% comparado ao ano anterior.

Ainda segundo a pesquisa, a relação com os meios digitais sinaliza uma mudança de comportamento do público que antes utilizava o computador e que agora prefere realizar operações via aplicativos de celulares.

A contadora e microempresária Josiane Schneider, de 32 anos, conta que se sente totalmente segura utilizando serviços de banco por meio do smartphone, inclusive as operações de sua empresa.

"Faço o possível para evitar a ida ao banco e e na maioria dos casos, só vou mesmo quando preciso sacar dinheiro. Mas isso acaba sendo muito raro, pois consigo fazer tudo pelo celular, principalmente pagamentos", comenta.

Já o gerente de produção, Egner Rainholz, 36, está há três anos sem utilizar algum tipo de serviço físico no banco em que é cliente.

"Prefiro utilizar os serviços pelo smartphone. Não gosto de ir à agência e ter que enfrentar filas". Faz três anos que não resolvo nada na agência física e na última vez só fui porque o banco me chamou", lembrou.

Segundo o gerente de Riscos do banco Sicoob, Alfredo Venzel, os aplicativos disponibilizados pelos bancos para os aparelhos móveis oferecem uma gama extensa de utilidades que vão desde a consulta de saldos e de extratos até a realização de grandes transações de negócios. "O canal é o mais seguro para as operações bancárias. No caso do Sicoob, até hoje, não existe nenhum registro de fraude no canal mobile do Sicoob. Por isso, orientamos os associados para que deem preferência ao uso do celular”, disse.

Para quem é adepto ao uso dos aparelhos móveis para esse tipo de operação ou para quem quer experimentar o serviço, o gerente de riscos deu algumas dicas para prevenir fraude nos canais digitais:

- Desconfie de links de sites que você não conhece;

- Cuidado com e-mails que você nunca recebeu;

- Desconfie de ofertas muito tentadoras;

- Não passe sua senha para desconhecidos.

 

Uso do celular para realizar para acessar serviços bancários superou o uso do computar em 2016.